Ah! Se Sambalate soubesse!

6

Quando Sambalate, Tobias e Gesem, o arábio, e o resto dos nossos inimigos souberam que eu já tinha edificado o muro e que nele já não havia brecha alguma, ainda que até este tempo não tinha posto as portas nos portais, Sambalate e Gesem mandaram dizer-me: Vem, encontremo-nos numa das aldeias da planície de Ono. Eles, porém, intentavam fazer-me mal. Neemias 6: 1,2.

Crente que não trabalha dá trabalho!  Algo acontece com quem cruza os braços para um trabalho a ser feito, além de não cooperar, geralmente, passa a procurar falhas naqueles que estão fazendo. Certo dia um amigo me falou que uma equipe se assemelha a um time de competição de remo: quem não rema, não contribui com o time e sequer ajuda a conduzir o peso do próprio corpo, sendo além de improdutivo, pesado aos que trabalham por ele inclusive. Outros que estão se matando para o sucesso da equipe. O pior é que geralmente depois de tudo isso, provavelmente, esse passará a criticar os que estão trabalhando até para o seu próprio benefício.

No livro do profeta Neemias, vemos a tendência da natureza caída do homem, produzindo ciúme, inveja e ira.  Sambalate enciumado intentou cinco vezes contra o êxito que via na obra que Neemias fazia. Lamentável é que Sambalate não sabia que este trabalho era de Deus e não de Neemias, se insurgindo então contra aquele que estava a serviço do próprio Deus. Ah, se Sambalate soubesse!

Para onde voltamos os olhos de nossa vida, para ali nos encaminhamos. Quando alguém não tem consciência da preciosidade do projeto de Deus em sua vida, fica sem imunidade e pode facilmente ser contaminado pelo vírus de sentimentos escusos, ardendo-se em ciúmes por ver o que Deus apenas está fazendo na vida dos outros.

Esse fato dá vida a um ciclo: Quando esquecemos o que Deus quer fazer na nossa vida, além de perdermos tal esperança passamos a ser como “fiscais da frustração” assistindo revoltante e frustradamente o que Deus está divinamente fazendo na vida dos outros. Nesse devaneio, vê-se cada vez menos o que Deus quer fazer na sua própria vida e isso dá vazão a sentimentos tão medíocres que só alimentam o venenoso ciclo.

Sambalate nunca havia se incomodado com as ruínas de Jerusalém, exceto quando percebeu que alguém que não era ele estava sendo usado por Deus para realizar uma maravilhosa obra. Isso, Neemias fazia por fruto do amor a Deus e ao seu povo. O êxito de Deus para a vida de Neemias depunha contra a até então, inércia de Sambalate. Mas quem dera, ah quem dera! Que Sambalate soubesse, pelo menos duas coisas, a primeira é que aquela obra não era de Neemias e sim de Deus; e em segundo lugar, é que Deus também teria um plano, igualmente feliz para Sambalate.

Ah se Sambalate soubesse que Deus poderia usá-lo, talvez para pintar o muro, fazer um lindo jardim ou mesmo se juntar ao êxito de um trabalho divino, reerguendo os muros com Neemias.

Por isso quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união, oferecendo os próprios corpos como sacrifícios vivos e agradáveis a Deus para que experimentem a boa, perfeita e agradável vontade de Deus. Busquemos profundamente o que Deus quer fazer através de nós e mergulhemos nesta Vontade, pois assim, seremos incomparáveis aos olhos dEle, e pra quem quer: aos olhos dos homens.

Pr. Robério Soares

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s